Comida da gente: solidariedade do produtor ao consumiror

Faz um tempo que estou buscando uma alimentação mais saudável, sem agriotóxicos e ingredientes industrializados. Sempre achei muito difícil e caro manter esse esquema, até ser apresentada ao grupo Comida da Gente, no Facebook.

A ideia do grupo é facilitar a compra de alimentos saudáveis, eliminando os intermediários entre o consumidor e o produtor. Funciona assim: se eu estiver interessada em comprar um produto, posso buscar um produtor e organizar uma compra coletiva com as pessoas do grupo. Outra forma é o próprio produtor organizar a lista e cuidar de todo o processo.

Em geral, tanto os organizadores quanto os produtores precisam de pessoas que se voluntariam para distribuir volumes menores da compra em seus bairros. Essas pessoas, chamadas de deslocadores, fazem isso apenas por serem solidárias, não ganhando nada com isso.

Vende de tudo no grupo, de cestas de vegetais até mudas de frutas raras e exóticas. Adoro os cogumelos, as frutas vermelhas, os queijos e, em especial, os grãos e castanhas que faço logo um estoque.

O grupo é fantástico e tem muita gente legal se dispondo a fazer o bem para o outro. Para manter esse clima, sugiro que os novatos leiam as regras do grupo e tentem entender como funciona antes de começar a participar. É uma comunidade que, como qualquer outra, tem seus protocolos. Cuidado para não ser deselegante.

Mercado Les Enfants Rouges

Eu, meu marido e minha filha fizemos uma viagem maravilhosa agora em janeiro. França e Itália. Ai que maravilha!

Claro que entre um museu e outro, Dona Tetéia parava milhares de vezes para fotografar e provar delícias das culinárias fantásticas desses dois países.

Como alugamos apartamentos nas cidades em que passávamos, acabei cozinhando quase todos os dias. Publicarei algumas receitinhas depois.

Hoje trago pra vocês uma dica incrível, o Les Enfants Rouges. Construído em 1615 pelo rei Luis XIII, é o mercado de comida mais antigo de Paris. Fica na Rue de Bretagne, no Marais, um dos bairros mais elegantes da cidade.

O legal é que, além de vegetais, peixes e frutas frescas, você encontra neste mercado diversos pequenos restaurantes com os mais variados tidos de comida.

Vale muito a pena passear por este bairro incrível numa manhã de domingo, curtindo todas as lojas de antiguidades e brechós que você só encontra aqui e fechar com um almoço delicioso no Les Enfants Rouges.

Ah, Paris…

Le Marche des Enfants Rouges
39 rue de Bretagne
Horários: terças, quartas, quintas e sextas, das 8h30 às 13h e das 16h às 19h30. Sextas e sábados, das 8h30 às 13h e das 16h às 20h. Domingos, das 8h30 às 14h

Metrô: Filles- Calvaire ou Temple

Preparando o Natal

Já é Natal na Leader Magazine!

Quando o jingle da varejista começa a ser repetido pelos quatro cantos é hora de organizar o grande encontro da família. Este ano será um Natal bem desanimado. O clã ainda está baqueado pela perda de uma irmã querida, mas a vida continua para os que ficam…

Sempre dividimos as tarefas, mas este ano achei melhor eu ficar responsável pelo forno e fogão. Minha irmã restante não é dada às artes culinárias e a velha dona Teca merece um descanso. Não vou inventar a roda e tampouco exagerar nas quantidades. Fartura definitivamente não é sinônimo de desperdício.

Cheguei a um cardápio que considero clássico e  apetitoso. Postarei os resultados depois.

Entradas:
Bolinho de bacalhau ao forno
Salada verde
Strudel de bacalhau

Pratos principais:
Peru ou chester recheado com farofa de nozes
purê de maçãs com amêndoas
Arroz com castanhas
Lombinho festivo
Sobremesas:
Manjar diet (Dona Teca é diabética e merece muito adoçar sua vida)
Gelado de manga com coco
Pudim de leite

Totalmente dispensável, mas nós amamos:
Panetone
Rabanada ao forno

Bebidas
Sangria
Refrigerante e mate

Le Cordon Bleu – Curso para turistas

Eu e meu marido estamos programando uma segunda lua de mel com uma viagem à França no início da primavera de 2010. Teremos 8 dias em Paris, tempo suficiente para fazer um curso rápido no Le Cordon Bleu. Descobri que há uma espécie de workshop de 2h para turistas, no qual um chef ensina um prato que depois é degustado pela turma. Custa 50 euros por pessoa, o que para uma refeição de primeira linha em Paris, com vinho, é bem razoável.

Infelizmente, embarco de volta para o Brasil exatamente no dia em que eles farão esse jantarzinho. Perdi a oportunidade, mas deixo a dica. Mais informações na página de programação do site da escola.