Especial da Semana Santa: receita de bolinho de bacalhau

Gostaria de agradecer aos portugueses por nos deixarem de herança o gosto pelo bolinho de bacalhau, reforçado pela quase necessidade brasileira de tomar um chope gelado de vez em quando. O que poderia combinar mais com chope que o bolinho de bacalhau? Sem falar na tradição de preparar esta receita na Páscoa, no Natal e em várias outras oportunidades durante o ano. Na verdade, tudo é motivo.
Em homenagem aos amigos lusitanos, trago a primeira receita de bolinho de bacalhau conhecida, publicada em 1904 no livro Tratado de Cozinha e Copa, do português Carlos Bandeira de Melo. Tomei a liberdade de indicar as quantidades dos ingredientes, que o autor não revelou no original.
Ingredientes:
600 gramas de bacalhau dessalgado
400 gramas de batatas cozidas e espremidas
1 gema de ovo
Sal
Pimenta do reino
1/4 de xícara de leite
1 xícara de salsa picada
Quanto baste de azeite ou óleo de soja para fritar
1 clara de ovo batida em neve
2 colheres de metal para dar forma aos bolinhos

Modo de fazer
– Cozinhe o bacalhau, limpe peles e espinhas e desfie.
– Misture com as batatas cozidas e bastante salsa cortada em pedaços.
– Junte o leite e as gemas. Tempere com um pouco de sal e pimenta em pó.
– Bata a massa, à qual juntam-se as claras, previamente batidas em neve.  Mistiure tudo rapidamente.
– Aqueça o azeite, que deve ser abundante, para que os bolinhos mergulhem nele sem tocar o fundo.
– Molhe as colheres no azeite fervente em que os bolinhos serão fritos.
– Tire uma colherada de massa  e dê forma ao bolinho passando de uma colher para outra.

– Em seguida, ponha os bolinho para fritar.
– Tire do azeite com uma escumadeira e coloque para escorrer no papel toalha.

Obs.: se a massa não estiver dando liga, coloque um pouco de farinha de trigo.

 

Anúncios

Festa expressa

Ontem teve festinha aqui em casa. Eu estava cansada e sem paciência pra bolar e executar um cardápio mais sofisticado. Minha semana foi pauleira e só não desmarquei o convescote porque gosto muito de um movimento. Esta foi a primeira vez que eu fiz a lista de convidados e o cardápio no dia. Minha estratégia foi apostar em receitas que eu levassem menos de 10 minutos pra fazer. Dificil…

Escolhi o seguinte cardápio:

– Amendoim salgado e passas

– Terrine de atum com tomate concassé

– Salada de cuscuz marroquino com camarões
– Brusqueta de tomate

– Folheado de brie com damasco

– Bombom de sorvete

Os drinks foram uma atração à parte. Montei um bar com vários tipos de bebidas, suco, gelo, cereja em calda, frutas picadas e todos os apetrechos necessários pra brincar de barman. A graça estava em cada um bolar o seu. Saíram umas combinações bem interessantes.

A turma gostou bastante, em especial do folheado. Não durou 5 minutos. Recomendo!

Ingredientes:

– Massa folheada congelada

– 1 Brie triangular

– 1 pote pequeno de geleia de damasco

– 1 gema

Modo de fazer:

Abra a massa sobre uma superfície plana. Coloque o brie picado e a geléia. Dobre as laterais para dentro e depois as partes de cima e de baixo. Vire, de forma que as dobras fiquem para baixo. Pincele a gema e leve ao forno até dourar.

Gente, o queijo derrete junto com a geléia e a massa é absolutamente crocante. Fica um salgado meio doce delicioso.

Bolinho de feijoada

Vista da laje
Vista da laje do César

Neste sábado fui em missão diplomática a uma feijoada no Morro da Babilônia, aqui no Rio. Esta comunidade é abençoada pela incrível vista da praia de Copacabana e foi recentemente pacificada pela polícia. Segurança total, garantida por uma unidade da polícia bem no alto. Tudo em paz por lá. Um viva ao Sérgio Cabral!

Achei o máximo poder subir o morro na maior tranquilidade com minha câmera na mão, sem estresse algum, me sentindo 100% segura. Mais incrível ainda foi descobrir que lá no alto do morro tem a melhor feijoada que comi em muito tempo, servida todos os sábados em um restaurante improvisado na laje do César. E a vista… Aff!

E como a fartura parece ser a regra número por aquelas bandas, sobrou muito feijão e couve. O que fazer numa hora dessas? Minha sugestão: bolinhos de feijoada. Podem ser guardados congelados e ser fritos na hora que você voltar a receber seus amigos, com aquela cerva geladinha ou boas doses de caipirinha.

Ingredientes

Feijoada pronta

Farinha de mandioca

Farinha de rosca  e ovo para empanar

Óleo

Modo de fazer

Bater no liquidificador feijão com as carnes (eu colocaria apenas linguiça, paio e carne seca).

Leve o creme obtido ao fogo e acrescente a farinha de mandioca aos poucos até formar um tutu consistente, mas maleável. Não pode ficar quebradiço. Deixe esfriar.

Quando estiver frio faça discos achatados com a maça na palma de sua mão e coloque um pouco de couve no centro. Feche a massa e modele fazendo bolinhas.

Empane em ovos ligeiramente batidos, passando-os depois na farinha de rosca. Frite em seguida.